Rádio – Parte II

rádio-post

Na primeira parte falei-vos um pouco sobre a modulação do sinal eléctrico a enviar, nesta segunda parte irei falar da própria transformação do sinal eléctrico em ondas de rádio. O dispositivo que faz esta operação (bem como a inversa) é a antena. Faço notar que a natureza do sinal não sofre propriamente uma mudança, pois só varia o meio em que se propaga (em ambos os casos estamos a falar em ondas electromagnéticas, num caso guiadas, no outro irradiadas). Embora aqui me esteja a referir a ondas de rádio, fica a nota de que o mesmo é aplicável para qualquer tipo de onda (apenas o tamanho da antena é que varia: quanto maior o comprimento de onda, maior tem que ser o tamanho da antena).

Continuar a ler

Anúncios

Rádio – Parte I

radio

Neste artigo vou falar sobre a ciência que é necessária compreender para perceber o funcionamento de um rádio. Por “rádio” poderemos entender várias coisas diferentes, mas que estão relacionadas: as ondas de rádio, estações de rádio (emissoras) e “rádio” como dispositivo para ouvir essas estações. É deste último que vou falar, ainda que vá mencionar os outros, visto que estão relacionados. (Existe ainda um elemento químico chamado rádio*, bem como um osso, mas esses não têm nada a ver com as ondas de rádio, apesar do nome ser o mesmo.) Salvaguardo que não irei falar de todas as formas possíveis de fazer um rádio, pois sendo uma tecnologia com mais de 100 anos, é natural que haja várias formas diferentes de obter o mesmo (naturalmente com vantagens diferentes do ponto de vista de engenharia). Porém, os princípios de funcionamento são basicamente todos iguais (ou semelhantes). Este artigo será dividido em duas partes. Nesta primeira parte vou-me debruçar sobre as “primeiras etapas” no processo de emissão do sinal de rádio. (Confesso que este artigo ficou bastante mais difícil do que aquilo que pretendia. A leitura dos artigos citados abaixo é quase indispensável para que possam compreender este artigo. De qualquer forma, poderão deixar as vossas dúvidas em comentário.)

Continuar a ler

Transmissão eléctrica

A criação de redes de transmissão e distribuição de electricidade foi uma das mais importantes criações do Homem no século XX. Neste artigo vou enunciar resumidamente os mecanismos e ideias envolvidos numa rede de transmissão eléctrica.

rede

Continuar a ler

Telefone

telefone

A palavra “telefone” vem do grego e significa voz (“fone” não é semelhante a “fonema” por coincidência) à distância (“tele”). O primeiro nome que associam a esta tecnologia será certamente o do Alexander Bell, o cientista que submeteu a primeira patente do telefone (1876); ainda assim há outros nomes a lembrar, como Innocenzo Manzetti (inventou o conceito em 1844), Charles Bourseul (inventor da primeira ideia que poderia culminar no primeiro telefone, 1854), Johann Reis (colocou em prática a ideia de Bourseul, 1861; o problema deste “telefone” estava no “microfone imperfeito”),  Antonio Meucci (é agora reconhecido como o primeiro inventor do telefone, pois embora não tenha submetido a primeira patente, em 1860 fez a primeira demonstração pública do seu invento, o qual, supostamente, tinha inventado para falar à distância, a partir do seu laboratório, com a sua esposa que estava doente). Outros nomes poderiam ser lembrados, mas estes são os mais importantes na história do aparecimento do telefone.

Continuar a ler

Lâmpadas

Com este artigo abro uma nova categoria – Tecnologia. Nesta categoria irei tentar explicar de um modo simples como funcionam algumas das tecnologias que o leitor usa no seu dia-a-dia: rádio, televisão, computador, automóvel, etc..

Neste artigo irei começar por algo relativamente simples, mas que revolucionou o mundo, a lâmpada. Não irei discorrer muito sobre a parte histórica, pois essa facilmente a podem aprender ou relembrar na wikipedia, por exemplo.

lampada

Existem vários tipos de lâmpadas, mas neste artigo irei apenas referir três, que do meu ponto de vista são os mais importantes (sendo que a maioria dos outros são semelhantes a estes): lâmpadas incandescentes, lâmpadas fluorescentes e LEDs. Aviso desde já que a dificuldade de compreensão deste artigo irá crescendo à medida que o vão lendo, pois alguns tópicos mereciam um detalhe muito maior àquele que aqui transmito (alguns irão eventualmente vir a ser melhor explicados em artigos futuros).

Continuar a ler