Gravidade zero

backgroundIdeas155

O que é a “gravidade zero” que os astronautas dentro da Estação Espacial Internacional (ISS) sentem? É importante começar por frisar que o nome induz em erro: a gravidade não é zero! A noção errada que muitos têm é que, como a gravidade resulta da atracção do planeta sobre nós e tendo em conta que a força gravítica diminui com a distância, então a uma distância razoável do planeta deixamos de sentir a sua atracção. Não, não é nada disso. Gravidade zero é o mesmo que queda livre!

Continuar a ler

O Fascínio dos Números – Parte IV

maths_1

Já vos falei de números naturais, inteiros, racionais, irracionais, transcendentais, reais (primeira parte), imaginários, complexos, transfinitos, primos (segunda parte), perfeitos, amigos, e normais (terceira parte). Não esgotei o tema sobre conjuntos de números, mas opto agora dirigir a vossa atenção para certas individualidades: números que por algum motivo se distinguem dos outros por terem certas propriedades especiais. Passemos a conhecê-los.

Continuar a ler

Criar Ciência

doodle0022-scientists

Neste artigo de tom opinativo vou divagar um pouco sobre o processo de criação de novo conhecimento científico. Trata-se de uma reflexão pessoal e por isso parcial, que muitas vezes fará mais sentido no âmbito da Física e menos noutras áreas da Ciência. Será dirigido ao leigo comum que muitas vezes tem uma ideia errada sobre a Ciência e sobre os cientistas.

Continuar a ler

Leis de Conservação I

Lavoisier afirmou que “Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.”, em referência à Lei da Conservação da Massa (ou Lei de Lavoisier*). Por outras palavras, colocando uma certa massa sobre uma balança, o seu peso será invariável independentemente do que se fizer com a massa, nomeadamente reacções químicas (assumindo que as condições gravíticas não variam, e a balança não varia a sua inércia, ou seja, em condições tais que a medição do peso não varie, claro).

Continuar a ler

Da Física da Continuidade à Física das Transições de Fase

ice

Normalmente as pessoas pensam que a maior descoberta de Newton foram as leis do movimento e a Lei  da Gravitação Universal. De facto, para ele chegar aí teve que inventar algo ainda mais importante, aquilo que tinha impedido outros antes dele, como Galileu, de alcançar essas leis, a ferramenta matemática para lidar com a Física do movimento: Cálculo (diferencial e integral). O Cálculo foi de extrema importância para o desenvolvimento da física teórica, o que ainda é válido nos progressos que se fazem actualmente em vários ramos da Física!

Continuar a ler

Porque é que a Lua não cai?

kaboom

A resposta à questão colocada no título foi dada por Isaac Newton, aliás ele foi mais longe. Não só explicou porque é que a Lua não caía na Terra, como também conseguiu compreender porque é que as leis de Kepler (sobre as órbitas dos planetas) eram verdade, porque é que os planetas andam à volta do Sol e em simultâneo, com a mesma teoria, expôs a forma como tudo caía na Terra, (em particular a maçã que alegadamente lhe caiu na cabeça)! Parece quase um paradoxo pensar que com a mesma explicação se consegue dizer porque é que as maçãs caem, mas não a Lua. Esta explicação está presente, claro, na Lei da Atracção Universal, ou se preferirem: Lei da Gravitação Universal, inventada por Newton.

Continuar a ler

Forças da Natureza

Toda a gente sabe o que é “força”, no entanto, provavelmente essa definição não coincide com a que se usa em Física, que não é mais que uma convenção imposta pelo “pai” desta ciência – Newton. (English version: Forces of Nature.)

Que convenção é essa?

Continuar a ler